#Resenha O Beijo do Vencedor #3/3

Oi amigos, hoje trago para vocês o final da Trilogia do Vencedor. Um livro que devorei e vou contar porque.
Sem spoilers dos livros anteriores
O Beijo do Vencedor - #3 Trilogia do Vencedor - Marie Rutkoski
448 páginas - Editora Plataforma 21
Cheguei ao último volume com muitas e grandes expectativas, e devo dizer que foram atendidas. 
Depois de ser presa, Kestrel precisa sobreviver ao que agora é sua vida. Sua mente afiada tenta registrar todas as possibilidades possíveis, mas aos poucos, sua crua e dura realidade vai tomando proporções gigantescas e esvaindo a fé e a certeza de quem é. Claro que as drogas que lhe ministravam ajudavam a destruir não apenas ela, como sua própria alma. Mas isso não impediu que ela tentasse, e que pagasse alto por isso. 
Sua única e real chance parecia nunca ter existido. Estaria ela enganando a si mesma? Seria tudo um delírio de sua mente atormentada?
Antigamente, Arin se atormentava de espanto indignado diante do fascínio que havia sentido pela filha do general valoriano. Antigamente, afligia-se com a rejeição dela. Agora, porém, pensar em Kestrel lhe dava um alívio frio. Como gelo num hematoma. 
Mas não era apenas a mente de Kestrel que vivia atormentada. A de Arin também vivia assim, por mais que ele mostrasse que Kestrel era página virada em sua vida.
Agora, o que Arin queria mesmo era fortalecer sua aliança com o Oriente, e com isso, destruir de uma vez por todas o reinado daquele Imperador frio e cruel.
Em meio a planos e manobras de guerra, uma chama insiste em não morrer, e cheio de culpa e esperança dentro de si, Arin parte em busca de seu próprio coração, deixando para trás seu povo aos comandos daquele que agora ele chamava de amigo, Roshar, príncipe de Dacra.
Mesmo com todas as chances negativas, Arin não estava disposto a desistir, e mesmo que morresse no processo resgataria kestrel. Afinal, sem ela, ele já era quase um morto...
Mas de tudo o que ele esperava, não estava preparado para encontrar uma Kestrel sem memória de si mesma. Magra, fraca e muito ferida, Kestrel era apenas um espectro do que um dia foi. E esta constatação sangrava o coração de Arin. 
Ela havia cometido um erro fatal, desconhecido. Arin parecia um bom culpado, mas não era o culpado certo.
E, apesar de seu ódio contra Valória, em especial ao Imperador e ao pai de Kestrel só aumentarem, era preciso agir com inteligência e cautela.
A recuperação de Kestrel é lenta e dolorosa. Ela nem mesmo sabe mais quem é ou quem foi. Seus sentimentos são confusos e contraditórios, principalmente em relação a Arin.
Isso não impede que ela use sua mente engenhosa. E é justamente sua mente que lhe mostra o caminho que ela tinha medo de ver. Acontece que agora, ela não podia mais voltar. A decisão que seu coração tomara tanto tempo atrás, não permitia mais que ela voltasse. Era hora de tomar sua vida em mãos e lutar pelo que acreditava. Mesmo que isso a colocasse em campos opostos, e que em um futuro muito próximo ela precisasse enfrentar seu pai.
Ao lado de Arin e Roshar os três lideram os exércitos de Herran e Dacra. Eles vão precisar provar que uma guerra não se vence apenas com armas e munições, mas também com inteligência e frieza. 
Era chegada a hora da decisão, e até o final desta guerra, muitos cairiam mortos e outros tantos feridos. E o pior disso tudo era não saber se haveria de fato uma vitória real e concreta para o povo Herran, ou se eles estariam apenas trocando o nome de seu tirano. Isso, claro, se conseguissem vencer o poderoso e forte exército valoriano. 
Eu realmente devorei este livro, que li em dois dias, um se contasse como horas seguidas. Enquanto Kestrel era mente e coração, Arin era força e coração. E por mais que desejassem as mesmas coisas, o leitor percebia o medo que espreitava o coração de ambos na trajetória da guerra. 
A cena da batalha final, os segundos onde Arin tomou sua decisão de vida e morte foram sensacionais. Deu para sentir a tensão do momento, e acima de tudo, todo o peso que sua espada carregava. 
Roshar foi um personagem impar, que roubou a cena com sua inteligência e humores ácidos.
O enredo não deixa o leitor respirar, pois qualquer passo em falso poderia resultar na derrota de todos. Sem falar que não era apenas o futuro de Arin e Kestrel que era incerto, mas também o futuro totalmente incerto de Herran, que tanto poderia sair vencido de uma guerra que acabara de ganhar, como poderia perder a própria guerra.
A parte gráfica continua linda como as anteriores:



Um enredo ágil, engenhoso, inteligente, imprevisível, cheio de intrigas, mentiras e um grande jogo político e de poder. Uma fantasia que agrada em cheio quem procura por uma boa aventura com doses de romance.
Perdeu as resenhas anteriores? Clique abaixo e leia!
#1 A Maldição do Vencedor
#2 O Crime do Vencedor

Esta resenha faz parte do meu Desafio Literário 2018, no item com a letra "B". Para ler as outras resenhas do desafio, clique abaixo:

16 comentários:

  1. Oi Rose. Sou mega suspeita sobre essa trilogia.
    Eu simplesmente amei demais.
    Amei a Kestrel e tudo que ela enfrenta. Sua energia e força diante tantas mudanças pelas quais passa. O romance improvável com alguém que não está "a sua altura"..

    São tantos sentimentos que tenho quanto a essa trilogia que poderíamos ficar horas batendo papo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi karini, Kestrel foi uma personagem ímpar mesmo.
      Bjs Rose

      Excluir
  2. Sempre vejo as pessoas falando sobre esses livros mas não é uma história que me atraia em nada. Na verdade eu já li muito do gênero mas hoje em dia eu meio que saturei sabe. mas mesmo assim curti sua opinião. Parabéns. Está ótima a sua resenha.

    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma pena que esteja saturada, pois é um enredo incrível.
      Bjs Rose

      Excluir
  3. Nunca leio nada do gênero, mas já ouvi falar da trilogia. Seu post foi um dos mais claros sobre ela e até deu vontade de ler, apesar de não ser um estilo que eu consuma.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O dia que quiser sair da sua zona de conforto, leia. Vai gostar.
      Bjs Rose

      Excluir
  4. Oi Rose. Eu amei essa trilogia embora não tenha gostado tanto desse último livro como gostei do segundo. Além disso, concordo com tudo que você disse: é uma trilogia ágil, uma história bem contada e personagens sensacionais. Amei sua resenha. Beijos.

    Blog: fanficcao WordPress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jéssica, gostei de todos, mas este último me pegou mais.
      Bjs Rose

      Excluir
  5. Olá!! :)

    Eu confesso que não li a coleção ainda mas fico bastante curioso sempre que leio uma resenha de um dos seus livros!!

    Enfim, que ótimo que gostaste de fazer a leitura! Que a parte gráfica se manteve e que o enredo prende a respiração do leitor!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Trilogia ótima, se tiver oportunidade, leia.
      Bjs Rose

      Excluir
  6. Oi Rose
    Eu acho muito legal quando a trilogia mantem o fôlego e o interesse dos leitores! Pelo jeito foi isso que aconteceu aqui também.
    Não li nenhum livro da Marie, mas fiquei bem curiosa
    Gostei da temática e achei as capas lindas
    Dica anotada
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Que legal, Rose!

    Vou buscar conhecer essa trilogia.

    Abraços!

    ResponderExcluir
  8. Que bom que devorou o livro! Tenho todos os volumes mas ainda não consegui nem iniciá-los. É ótimo saber que o enredo é inteligente e imprevisível, me deixa animada para conhecer a história.

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem? Li a sua outra resenha e, apesar de certas partes narrativas me chamar atenção, não sei se quero investir nessa trilogia agora. Vou esperar mais resenhas, eu acho. Eu tô tentando parar de comprar na impulsividade, sabe? Mas que bom que gostou da leitura e que ela te surpreendeu, é sempre ótimo acontecer isso, porque a gente se anima a querer ler tudo do/a autor/a :)

    Love, Nina.
    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Olá Rose!
    Que legal saber que o desfecho é surpreendente e cheio de altos e baixos. Não sei se pegaria pra ler no momento, mas fiquei curiosa com a trilogia.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  11. Oiii!

    Eu não li as obras ainda, mas tenho muita curiosidade pois parece ser uma trilogia bem bacana e todas as resenhas são bem elogiosas. Gostei do seu ponto de vista!

    Beijinhos,

    ResponderExcluir

Olá meu amigo, deixe sua opinião, ela é sempre bem vinda. Obrigada por visitar o blog.