#Resenha Senhora do Jogo

Oi amigos, hoje  tenho a resenha de um autor que eu adoro: Sidney Sheldon. Infelizmente, ele já faleceu, e com isso, este livro ficou inacabado. Mas a família do autor acabou pedindo para que Tilly Bagshawe o terminasse, assim como alguns outros que levam o nome dos dois. O resultado disso? Vou contar para vocês...
Senhora do Jogo - Sidney Sheldon e Tilly Bagshawe
461 páginas - Editora Record
ISBN-13: 9788501088512
ISBN-10: 850108851X
Para quem não sabe, está é uma continuação de outro livro de muito sucesso do autor: O Reverso da Medalha, onde o leitor foi apresentado a poderosa e manipuladora família Blackwell, liderada pela matriarca Kate.
Este livro vai nos contar a história desta família desde a década de 80 até os dias atuais, com a nova geração a frente dos negócios da Kruger-Brent. Reverso da Medalha termina com Kate bem idosa e Peter, marido de sua neta Alex comandando a empresa.
Tudo começa (ou devo dizer termina?) no dia do casamento de Eve Blackwell, única neta de Kate. Enquanto a festa de casamento está rolando, Eve recebe um envelope dizendo que ela será presa e não tem como escapar. Não amigos, isso não é spoiller, é algo que acontece logo ali no prólogo. Da leitura desta carta, temos então uma volta no tempo onde de fato começamos o enredo em si.
A filha de Kate morreu ao dar à luz a suas filhas gêmeas Alexandra (Alex) e Eve. Eve sempre quis ficar a frente da empresa e nunca suportou a irmã. Sua avó logo percebeu que ela não era uma boa pessoa, então deixou todo o controle da empresa para sua neta Alex e posteriormente seu filho Robert. Eve nunca perdoou isso, e em seu íntimo tramava tirar tudo da irmã.
Alex, era casada com Peter Templeton e estava grávida novamente. Coincidentemente, sua irmã também estava grávida. Mas ao contrário de Alex, que casara por amor, Eve casou-se porque estava sendo chantageada pelo cirurgião plástico Keith Webster. Para não ter seu segredo revelado, acabou casando com ele, e mais tarde sofreu um duro golpe desferido pelo marido, que a deixou com o rosto desfigurado. Com isso, Eve passou a ser conhecida como a "Fera dos Blackwell". Para não ter seu rosto fotografado e divulgado na mídia, passou a viver isolada em sua casa. E isso só aumentou o ódio contra a irmã, que continuava com o rosto lindo e intocado.
Enquanto Alex vivia sua vida feliz e bem casada, Eve amargava seu isolamento e um casamento com um homem que detestava. As coisas começaram a mudar no parto de Alex. Ela não sobreviveu ao parto de sua filha Lexi. Dias depois, foi a vez de Eve dar a luz a seu filho Max. Desta vez a sina da família não aconteceu. 
A morte de Alex acabou desestruturando Peter, que enxergava no filho Robert o culpado pelos momentos roubados da esposa, visto que mãe e filho eram muito apegados. Lexi passou a ser a sua queridinha. 
Robert, que era um garoto sensível, sentiu muito a perda da mãe, e não tinha com quem conversar sobre isso, pois sentia que seu pai não o queria por perto. Seu amor passou a ser todo de Lexi, a quem tratava com todo zelo e cuidado. O elo entre os irmãos era muito forte, o que despertou ainda mais ressentimento do pai, que afundado na bebida, não pensava claramente e nem via o pedido mudo de seu filho por ajuda.
As brigas eram muitas e na maior delas, Peter quase chegou a matar os próprios filhos. Mas o grande baque veio quando Lexi foi raptada.
Ainda menina, Lexi passou poucas e boas, e como sequela do rapto, fora o trauma psicológico que ela insistia em negar, ela acabou ficando surda.
Já na vida de Eve, as coisas continuavam da mesma forma, só que agora ela tinha um filho a quem estava passando todo seu ódio e rancor. Max estava crescendo e aprendendo a odiar a família da tia e seus primos. Ele seria o instrumento de Eve para reaver a empresa que por justiça deveria ser deles.
A relação entre Robert e Peter ficou insustentável, e quando o garoto ficou maior de idade, renunciou a toda sua herança em favor da irmã e foi para Europa. Ele precisava se afastar de tudo para continuar vivo, mesmo que para isso precisasse ficar longe de sua amada irmã.
Com Robert longe do caminho, o alvo de Eve e Max passa a ser Lexi. Aos poucos Eve vai começando sua teia de vingança, e com a ajuda do filho, vai executando cada um dos passos rumo a posse da empresa.
Com Lexi e Max adolescentes, eles passam a trabalhar alguns períodos na empresa. Com os conselhos da mãe, Max sempre se mostra cordial com a prima, ao mesmo tempo que passa credibilidade aos outros acionistas. Lexi, ao contrário, começa a pesar o fato de ser mulher e principalmente de ser surda. Sem contar seu lado fútil que a mídia adora ressaltar.
Notando as intenções do primo, Lexi começa a primeira das muitas batalhas que serão travadas entre ela e o primo.
Em um verdadeiro jogo de xadrez os dois seguem rumo a diretoria da empresa. E ambos estão dispostos a tudo para sentarem na cadeira deixada pela bisavó, mas apenas um deles conseguirá isso.
Vocês não tem ideia do que estes dois são capazes de fazer. Quando digo que estão dispostos a tudo, estão mesmo. O curioso aqui, é que Max tem uma personalidade fraca, sendo totalmente manipulado pela mãe. Sabe aquele complexo de Édipo? Pois é, Max seria um bom exemplo. 
Do outro lado, Lexi tem uma mente ágil e sabe agir e manipular as pessoas para proveito próprio. Ela sabe quem são seus inimigos e o que precisa para atingi-los. A única vez que abaixou a guarda, pagou muito caro por isso. Mas não se entregou, foi a luta e devolveu na mesma moeda.
Os dois são ao mesmo tempo iguais e bem diferentes. Esta fissura de ter a empresa de qualquer jeito, passando por cima de quem for preciso é uma característica de ambos. Mas no caso de Max, é mais impulsionado pela mãe.
Lexi é uma pessoa sozinha. Aquela pobre menina rica. Linda e ao mesmo tempo tão solitária. O próprio amor que o pai tem por ela não é tão saudável. Só seu irmão a ama mesmo, sem ilusões.
De todos os personagens da trama, Robert é de longe o mais normal. Talvez por ter conseguido deixar todo o peso do nome para trás e ter construído seu próprio caminho, o que aliás, foi outro problema na relação entre pai e filho.
A história é narrada por Lexi, desde a morte de sua bisavó até o seu casamento, ela passou por muita coisa, boa e ruim. Neste enredo é difícil encontrar um mocinho totalmente bonzinho. Aliás, vou mais longe, os protagonistas desta história, passam longe de serem mocinhos. Robert poderia se enquadrar como mocinho, mas ele não é o personagem principal, apesar de ser um coadjuvante de peso e muito importante na trama.
Outro coadjuvante importante que vê sua vida bater com a família Blackwell é Gabe MacGregor, mas até mesmo ele teve sua porcentagem de pilantragem.
Uma coisa deve ser ressaltada nesta trama, a inteligência (mesmo que as vezes maligna) de Lexi. Fiquei impressionada com ela, e confesso que torci por ela desde o começo, além do irmão dela, claro. Tive um grande carinho por Robert, desde o início. Acho que vê-lo cuidar da irmã e sentir-se desamparado mexeu com meu coração. Engraçado como os personagens vão ao fundo do poço para poderem renascerem... Isso é visto claramente na vida de Lexi, Robert e Gabe. Talvez eu tenha simpatizado com eles por não serem totalmente maus, como no caso de Eve e Max, que nada mais era do que uma extensão da mãe.
O livro termina, mas o que percebemos é que a história não, ela está apenas começando, o que é ressaltado na última linha do livro. Não tenho ideia de onde ou como possa evoluir, mas com as mentes a quem fui apresentada, dá para se esperar qualquer coisa...
A assinatura pode não ser totalmente do Sidney Sheldon, pode até ter faltado uma ou outra coisa do autor, mas Tilly conduziu bem a narrativa, prendeu minha atenção e me deixou em suspenso em várias partes. Tive até vontade de correr para o final e ler o que iria acontecer. Então diante disso, com certeza é uma leitura que eu recomendo sim.

Esta resenha faz parte do meu Desafio Literário Livreando 2018 (#DLL2018), no item: "Um livro do seu autor favorito". Quem quiser ler as outras resenhas do desafio, clique na imagem abaixo.
 

29 comentários:

  1. Olá, tudo bem? Nossa, que diferente isso de o autor não ter terminado a obra e ter "ficado" pra outra pessoa, rs. Não conhecia esse livro, mas fiquei bem curiosa pra ler depois da tua resenha.

    Beijos,
    https://duaslivreiras.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Larissa, pois é, Sidney Sheldon acabou falecendo com algumas obras inacabadas e a família depois de um tempo decidiu finalizar e pediu para que a Tilly fizesse isso.
      Bjs, Rose.

      Excluir
  2. Oi, como vai?
    Apesar de já ter ouvido falar muitas vezes desse autor, nunca tinha lido nada, nem uma resenha, dele. Fiquei bem curiosa quanto a essa trama e como tenho me arriscado em novos gêneros, acho que vou me arriscar conhecer esse.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fernanda, o Sidney Sheldon é ótimo, tem livros maravilhosos como O reverso da Medalha, Manhã, Tarde e Noite ou mesmo A Outra Face. Suas personagens principais são sempre mulheres forte. Leia que vai gostar.
      Bjs, Rose

      Excluir
  3. O Reverso da Medalha desgraçou a minha vida mas acho que não quero ler essa continuação. Acho muito triste que a Alex morra depois de tudo o que ela passou e que Peter acabe se ressentindo por isso. Vou deixar a história como está na minha cabeça.
    Beijos
    Mari
    Pequenos Retalhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Mari, eu adoro O Reverso da Medalha, na verdade, dos livros que já li do autor, não tem nenhum que eu não goste.
      Bjs, Rose.

      Excluir
  4. Oi Rose Sidney Sheldon foi um dos meus escritores prediletos ( pena que morreu)
    Eu li A senhora do jogo que uma espécie de continuação de algum outro livro se não me engano e embora tenha me amarrado na leitura ainda sinto a falta dele nas histórias. Por isso decidi não ler mais os livros dela. Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marcia, ele com certeza é um dos meu preferidos e senti também a morte dele. Mas não fiquei tão decepcionada com a forma que a Tilly conduziu as histórias, pelo menos as duas que já li.
      Bjs, Rose.

      Excluir
  5. Li poucos livros do Sidney, mas ele é brilhante!
    adoro!
    http://felicidadeemlivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele é maravilhoso mesmo ❤️
      Bjs Rose

      Excluir
  6. Oie, tudo bem?
    Adorei a resenha, é bem triste quando um autor morre e deixa uma obra inacabada.
    Aconteceu o mesmo com a obra da minha infância, PODEROSA. Mas nesse caso, o autor que continuou meio que estragou a obra pra mim, tornando-a irreconhecível.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jéssica, que pena que no seu caso não funcionou.
      Bjs Rose

      Excluir
  7. Olá, tudo bem?
    É muito triste quando um dos nossos autores favoritos acaba falecendo, principalmente quando deixa uma história sem ser terminada. Outro livro que li e foi finalizado por outro escritor foi A Cidade e As Serras de Eça de Queiroz.
    Nunca li nada do Sidney Sheldon, acredita? Vou colocar nas minhas metas desse ano, me interessei bastante pela história, parece ser bem dramática, do jeito que eu gosto.
    Adorei a resenha!
    Beijoss,
    Meio Wandinha

    ResponderExcluir
  8. Oi Rose!
    Que genial a sua resenha.. Tem tantos anos que li Sidney Sheldon que nem me recordo mais a leitura que fiz. Essa história parece ser muito bem desenvolvida, a capa já nos deixa atentos para grandes mistérios.
    Vai entrar pra listas de indicações.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim Camila, vale a pena
      Bjs Rose

      Excluir
  9. Acredita que quando vi o título da postagem achei se tratar de alguma novela da Globo rsrs.
    Tenho alguns livros o Sheldon na minha estante, todos da minha mama, eu li dois só, mas nem me lembro mais.
    Gosto de mocinhos que não são tão bonzinhos, acho que torna mais real a trama e claro que fiquei curiosa para saber o que a vida reserva para rica pobre Lexi.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Camila, concordo contigo, este lance de mocinhos perfeitos demais acaba fugindo muito da realidade
      Bjs Rose

      Excluir
  10. Eu não sabia que ele havia falecido mas colocar outra pessoa pra continuar a história parece não funcionar muito pra mim, sabe? A história em si acaba perdendo o contexto ao ser conduzida por outra pessoa, infelizmente. Adorei sua resenha, foi bastante detalhada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dayhara, entendo seu sentimento. Para mim, aqui no caso, deu certo.
      Bjs Rose

      Excluir
  11. Ola
    Muito interessante essa história. Minha mãe tem alguns livros do autor aqui e vou procurar pra ver se ela tem aqui esses dois. Gosto quando a trama realmente te prende d =o inicio ao fim e pela sua resenha parece acontecer isso. Espero realmente gostar da leitura.
    Bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Jis, sim, prendeu mesmo. Caso tenha chance, leia
      Bjs Rose

      Excluir
  12. Eu adoro os livros do autor, mas faz pelo menos 10 anos que não leio nada dele. Adorei a sua indicação e fiquei curiosa para saber mais sobre o livro, eu ainda não o conhecia!!

    ResponderExcluir
  13. Eu nunca li nada do Sidney Sheldon, mas meu pai adora os livros dele e sempre os recomenda. Mas li tua resenha e adorei essa trama. Gosto bastante de tramas familiares com várias reviravoltas, e tenho certeza de que vou gostar desse livro.

    ;*

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bem?
    Acredita que eu não conhecia o autor nem as suas obras? Estou bastante curiosa para saber o que esse autor fez com a obra quando o outro escritor morreu.

    Beijinhos,
    http://livroseimaginacoes.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Olá!

    Conheço o Sidney, mas nunca li nada dele.A responsabilidade de concluir uma história escrita por alguém com o porte dele deve ser imensa. Fiquei curiosa pra conferir a trama.

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bem? Nunca cheguei a terminar um livro do Sidney, por causa do gênero literário. Como este faz parte de uma série, não posso dizer muito sobre, só que não leria haha. Que legal que a família do autor pediu para que o livro fosse terminado, porém: que medinho, rs. Mas que bom que a responsabilidade foi concluída bem.

    Love, Nina.
    www.ninaeuma.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Olá Rose, o Sidney Sheldon é um dos meus autores favoritos e por isso eu morro de medo de ler os livros escritos "junto" com a Tilly e me decepcionar, mas pelos seus comentários ela soube manter o nível nesse que parece estar com um suspense incrível *-* Adorei a resenha.

    ResponderExcluir
  18. Sidney Sheldon é maravilhosoo! O primeiro livro que eu li dele foi A Herdeira e que história! Fiquei encantada com a escrita envolvente e os personagens principais não tão bonzinhos haha, essa é a melhor parte na minha opinião, pois o autor quis torná-los reais. Adorei a sua resenha, eu não li essa obra ainda, porque eu quero ler O Reverso da medalha primeiro haha, mas a sua resenha me deixou ansiosa para conhecer essa história. Obrigada pela dica, bjss!

    ResponderExcluir
  19. poxa, uma pena ele não ter concluido o livro devido ao seu falecimento... não conhecia esse titulo dele, li alguns juvenis um tempo atrás e até curto a escrita dele, mas acho que a vibe de ler Sheldon passou... =T
    bjs...

    ResponderExcluir

Olá meu amigo, deixe sua opinião, ela é sempre bem vinda. Obrigada por visitar o blog.